Julio Lapagesse

Formado em Bacharel em Artes Plásticas pela Universidade de Brasília, Julio Lapagesse tem como suas principais pesquisas poéticas a memória afetiva e a colagem.

Imagens que estavam no passado do artista voltam a assombrar durante sua produção. A utilização de objetos afetivos, como velhas enciclopédias, em suas colagens, é uma marca na sua produção. O artista acaba por se tornar um arqueólogo de imagens antigas, pois nela, ele redescobre o seu próprio passado, e o transforma em material para um produção atual.

“Desde pequeno, eu me encantava com imagens antigas. Passava a maior parte do tempo folheando fotografias de família, enciclopédias empoeiradas, revistas em quadrinho dos anos 60, revistas e jornais velhos. Já existia uma vontade, uma pulsão de compor algo com aquelas imagens, de criar novos mundos.

No momento em que tomo aqueles signos e os transformo, redefinindo-os, pareço costurar o passado e o presente.”

O artista busca ser atuante dentro do cenário artístico de sua cidade, participando de publicações independentes e exposições. Foi integrante do ateliê coletivo Espaço Laje e hoje em dia divide um espaço de ateliê com outros artistas chamada Nova

Compõe, junto com os amigos Pedro Ivo Verçosa e Felipe Cavalcante, o coletivo Irmãos Colagem, projeto no qual os artistas pensam e produzem murais na forma de colagens gigantes.